Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sereia Louca

Sereia Louca

22
Abr19

Saara

Miss X

Raramente digo em voz alta as palavras que escrevo.

 

Não me parecem as mesmas quando lhes dou voz. Sonoras, perdem-se na atmosfera que me envolve e me separa dos outros. Prefiro-as no papel, onde não passam de silêncio, um dos mais belos sons que se pode escutar.

 

A primeira vez que escutei o silêncio foi no Deserto do Saara. Senti-me tão pequena perante tamanha grandiosidade de vazio e silêncio que não ousei pronunciar um som. A minha mudez tombou ali e não regressou a mesma. Não consegui dizer absolutamente nada perante aquele mar de dunas sem fim.

 

O Saara mudou-me as palavras e os seus momentos. Nunca mais as viria a pronunciar da mesma maneira, nem a dizê-las fora de tempo.

 

E o toque da areia do deserto, de tão fina e macia, parecia seda.

Podia vestir-se. Como as palavras que quero escrever.

 

Do meu deambular pelo mundo, o Saara nunca saiu de mim. E quem nunca escutou o silêncio do deserto, não conhece o âmago do mundo.

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Criaturas marinhas

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D