Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sereia Louca

Sereia Louca

30
Abr19

«The war photo no one would publish»

Miss X

A decisão de não publicar imagens chocantes não é inédita: nem todas as fotografias horríveis revelam uma verdade importante sobre conflitos e combates.

 

No mês passado, explica o “The Atlantic“, o “The New York Times” decidiu, por razões éticas válidas, remover imagens de passageiros mortos de uma reportagem online sobre o voo MH-17, na Ucrânia, e substitui-las por fotografias de destroços mecânicos.

 

Às vezes, porém, omitir uma imagem significa proteger o público das consequências confusas e imprecisas de uma guerra — tornando a cobertura incompleta e até enganosa.

 

A cobertura televisiva da Guerra do Golfo, como Ken Burns escreveu na época, parecia cinematográfica e muitas vezes sensacional, com “teatros distraídos” e “batendo novas músicas temáticas”, como se “a guerra em si pudesse ser uma subsidiária integral da televisão”.

 

A ler:

in Magg

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Aviso à navegação

A autora deste blog não adopta o novo Acordo Ortográfico

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Criaturas marinhas

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D